Não há fronteira nem preconceito no coração de quem ama a arte.
O coração que ama a cultura é a essência do humanismo.

Receba novidades

Não há fronteira nem preconceito no coração de quem ama a arte.
O coração que ama a cultura é a essência do humanismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário